Menu
Busca segunda, 21 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Homem é chamado de corno e leva 4 tiros de vizinho da namorada

27 janeiro 2020 - 08h30Por Campo Grande News

Homem de 49 anos foi baleado com quatro tiros durante briga na tarde de ontem (26) na Rua Mandacaru, no bairro Moreninha III, em Campo Grande. O autor dos disparos é o vizinho da namorada da vítima.

Segundo informações do boletim de ocorrência, a vítima foi até a casa da namorada ajudá-la a fazer mudança, quando começou uma discussão com o vizinho da mulher, identificado como Jederson Miranda Perez, 23 anos. Durante a briga, o suspeito chamou o homem de corno e disparou quatro tiros.

A vítima foi socorrida pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) com ferimentos no braço e na região do tórax, e encaminhada para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Moreninha. O suspeito fugiu após a tentativa de homicídio.

A Polícia Militar foi até a casa do suspeito e, no local, a irmã do rapaz, que é policial, contou que não presenciou a briga, mas que o autor dos disparos era o irmão.

Ainda segundo a testemunha, a namorada da vítima trabalhava como babá na casa da família. Na última sexta-feira (24), os envolvidos teriam discutido após o irmão suspeitar que a namorada do homem era amante do pai. 

O suspeito não foi localizado. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Tiradentes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Mercado financeiro reduz projeção de queda da economia para 5,05%
Mulher que matou o marido com facada pode estar grávida do falecido
Infectados com covid-19 que saírem de casa vão pagar até R$ 70 mil de multa
Homem é morto após quebra-pau em residência em Sidrolândia
Força-tarefa em MS intensifica ações e controla focos de calor no Pantanal
Mulher surta ao ver mensagem de outra e ameaça matar namorado com faca
Mulher de 52 anos é autuada após colocar fogo em lixo de terreno
Hamilton Mourão rebate críticas às queimadas
Vice-presidente do Flamengo defende volta da torcida aos estádios
Em diligência no Pantanal, senadores dizem que cenário é devastador