Menu
Busca domingo, 27 de setembro de 2020
(67) 99820-0742

Ex-chefe do atletismo mundial Lamine Diack é condenado por corrupção

16 setembro 2020 - 18h00Por Agencia Brasil

 O ex-chefe do órgão regulador do atletismo mundial Lamine Diack foi condenado na França, nesta quarta-feira (16), por corrupção em um escândalo de doping na Rússia e foi sentenciado a passar pelo menos dois anos na prisão. Diack, de 87 anos, foi considerado culpado de aceitar propinas de atletas suspeitos de doping, para encobrir os resultados dos testes e permitir que continuassem competindo, inclusive na Olimpíada de Londres 2012.

O tribunal também considerou Diack culpado de aceitar dinheiro russo para ajudar a financiar a campanha de Macky Sall para as eleições presidenciais de 2012, no Senegal, em troca de atrasar os procedimentos antidoping.

Os promotores disseram que Diack solicitou propinas totalizando 3,45 milhões de euros de atletas suspeitos de uso de drogas. O juiz considerou que as ações do ex-saltador "minaram os valores do atletismo e da luta contra o doping".

O tribunal determinou a Diack uma sentença de prisão de quatro anos, dois dos quais foram suspensos. Também impôs multa máxima de 500 mil euros.

Diack já foi um dos homens mais influentes no esporte, liderando a Associação Internacional de Federações de Atletismo (Iaaf) de 1999 a 2015. A Iaaf é agora conhecida como World Athletics.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Eleições 2020: termina hoje prazo para pedir registro de candidatura
Pandemia amplia vulnerabilidades de surdos, diz secretária
Prefeitura encaminha imigrantes e pessoas em situação de rua ao mercado de trabalho
França abre investigação para apurar ataque com faca em Paris
Universidade oferece tratamento gratuito a pacientes com sequelas da covid-19
Reme ainda não tem prazo para retorno das aulas presenciais
Jovem de 22 anos perde controle de moto e morre na Salgado Filho
Bandidos não perdoam nem cavalos em Corumbá
Caminhoneiro de Dourados capota e morre na serra de Maracaju
AGU cobra na Justiça R$ 893 milhões de desmatadores da Amazônia