Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(67) 99820-0742
Set

Em 2 meses, máquina recolhe 1,4 mil litros de óleo de cozinha usado

03 dezembro 2019 - 16h33Por Campo Grande News

O projeto embrionário da startup Óleoponto está fazendo sucesso em Campo Grande. A máquina destinada a receber óleo usado recebeu em 60 dias 1.464 litros do produto, evitando a contaminação de 36,3 milhões de litros de água.

A máquina provisória, que tem formato semelhante a um caixa eletrônica, foi instalada no Comper Spipe Calarge, onde ficará até fevereiro, até a chegada do equipamento original, que está sendo desenvolvido na USP (Universidade de São Paulo) de São Carlos.

Zadrik Mendonça, de 38 anos, arquiteto e urbanista, é o criador da startup que dá ao morador a oportunidade de guardar o material utilizado para posteriormente entregar a startup. Na primeira fase do projeto, a cada dois litros de óleo usados, o morador ganhava um litro de óleo novo. Agora, a cada quatro litros usados, um novo é entregue.

O arquiteto, morador de Jardim, distantes 233 km de Campo Grande, explica que durante a coleta, o morador passa por uma rápida entrevista. “Queremos entender o perfil do usuário”. O objetivo é colher informações para saber quais ações são tomadas em relação ao descarte do produto e o consumo de óleo. “A grande maioria vai jogar fora. Vamos democratizar a coleta”, explica.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Com gasolina mais cara, inflação volta a subir em Campo Grande
MS passa dos 12 mil casos de coronavírus e registra 146 mortes pela doença
Avó de esposa de Bolsonaro continua internada com coronavírus
MPMS vai investigar denúncias de irregularidades em ‘curso de bombeiro mirim’ em Campo Grande
Proibida de participar de licitação, empresa ganha pregão de R$ 60 milhões com a Sefaz-MS
Presidente da Bolívia testa positivo para covid-19
Duas jovens paulistas são presas em MS com malas recheadas de maconha
OMS manda especialista para investigar origem da Covid-19 na China
Frio começa a ir embora no fim de semana em Mato Grosso do Sul
Exame particular da covid-19 pode custar entre R$ 160 e R$ 300 na Capital