Menu
Busca quinta, 02 de abril de 2020
(67) 99820-0742
Set

Coronavírus: fábricas trocam produção de itens para narguilé e troféus por máscaras

25 março 2020 - 16h30Por Midiamax

No lugar de troféus, molduras de acrílico e material para narguilés, duas empresas de campo grande concentraram sua produção em máscaras para profissionais de saúde. A medida, adotada em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), foi tomada após os irmãos que comandam os negócios perceberem a falta dos itens para aquisição na rede pública de saúde. Como resultado, a produção iniciada há cerca de uma semana teve a primeira leva já toda comercializado. 

“Não se encontrava mais a máscara na cidade. Começamos a produzir para ajudar a empresa e os funcionários e, ainda, ajudar o sistema de saúde”, afirmou o empresário Haycson Silveira, proprietário de uma fábrica de produtos em acrílico na Avenida Hiroshima, no Carandá Bosque. A empresa, como outras, teve queda na movimentação em virtude da pandemia –da mesma forma que a fábrica de itens para narguilé no Jardim Montevidéu de seu irmão, Hayllon.

Diante da capacidade ociosa com o coronavírus –que forçou diversos estabelecimentos a suspenderem a produção a fim de evitar aglomerações ou por falta de demanda– e da necessidade criada na rede de saúde por alguns equipamentos, ambos decidirem unir esforços e as indústrias sob um objetivo. E, claro, seguindo as orientações das autoridades de saúde contra aglomerações. 

“São dois locais. Um galpão com maquinário e uma loja física na Hiroshima. Agendamos com os clientes individualmente, um por horário e, no caso de atender a outras cidades, tratamos com a transportadora para entregar”, explicou Haycson. Na terça-feira, a produção somou 230 unidades de máscaras de acrílico, com expectativa de fabricação de até 600 unidades para suprir a procura.

A necessidade de se evitar as aglomerações, segundo o empresário, inclui também a linha de produção, que segue orientações dos decretos baixados pela Prefeitura de Campo Grande para evitar a disseminação do coronavírus entre os trabalhadores.

“Todos os funcionários usam máscaras, há álcool em gel por todas as empresas, assim como máscaras e luvas para eles. E, como as máscaras passam de uma mão para outra, também são higienizadas e colocadas em sacos plásticos”, explicou Haycson –cuja fábrica chegou a anunciar férias coletivas em meio à pandemia e, agora, atuam com equipes reduzidas. “Havíamos parado de atender totalmente e, agora, tentamos atuar de outro jeito”.

Deixe seu Comentário

Set 2

Leia Também

Homem é socorrido com traumatismo craniano após ser espancado no Aero Rancho
Latam reduz operações em 95% em abril em meio ao novo coronavírus
Com suspensão prorrogada, academias ficam entre manter saúde e "girar máquina"
Covid-19: Governo Federal zera estoque de equipamentos de proteção a profissionais de saúde
Jovem de 21 anos morre em hospital de Dourados com suspeita de coronavírus
Presidente das Filipinas manda “atirar para matar” quem desrespeitar isolamento
Covid-19: governo aprova medidas para área da assistência social
Com tornozeleira em falta, policial da Máfia do Cigarro fica sem monitoramento
Votorantim doa 500 máscaras para Secretaria Municipal de Saúde
Polícia Militar prende homem após assalto no bairro universitário em Corumbá