Menu
Busca sexta, 14 de agosto de 2020
(67) 99820-0742
Set

Ativista Greta Thunberg muda descrição no Twitter para 'pirralha' após declaração de Bolsonaro

10 dezembro 2019 - 16h45Por G1

A ativista sueca Greta Thunberg mudou na manhã desta terça-feira (10) a sua descrição biográfica no Twitter para "Pirralha" após declaração do presidente Jair Bolsonaro.

Bolsonaro se referiu à Greta como "pirralha" quando foi questionado por jornalistas, nesta terça, se estava preocupado com as mortes de dois indígenas da etnia Guajajara em um atentado ocorrido no sábado (7) no Maranhão (veja no vídeo abaixo).

 

"A Greta já falou que os índios morreram porque estavam defendendo a Amazônia. É impressionante a imprensa dar espaço para uma pirralha dessa aí, pirralha" – Jair Bolsonaro, presidente do Brasil

Em seguida, Bolsonaro afirmou que "qualquer morte preocupa" e que seu governo deseja "cumprir a lei", posicionando-se contra desmatamento e queimadas ilegais.

No mesmo dia das mortes, Greta compartilhou um vídeo nas redes sociais sobre o crime e escreveu que os indígenas estavam sendo assassinados ao tentarem proteger a floresta do desmatamento ilegal.

De acordo com a Comissão Pastoral da Terra (CPT), o número de mortes de lideranças indígenas em 2019 é o maior em pelo menos 11 anos. Das 27 pessoas que morreram por conflitos no campo neste ano, 7 eram líderes indígenas, contra 2 em 2018, segundo a entidade.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
00:00/00:41
 
 
 
 
 
 

Deixe seu Comentário

Leia Também

Homem baleado na cabeça na Mato Grosso morre na Santa Casa
Homem envia fotos nuas da ex-mulher em aplicativo e acaba preso em Anaurilândia
Cloroquina 'some' das farmácias e preço vai às alturas; pacientes com lúpus são prejudicados
Comerciante é executado a tiros enquanto aguardava em semáforo na fronteira
Com mais de mil casos em 24h, MS tem 34,5 mil infectados e 570 mortes por coronavírus
Concurso público com salários de até R$ 3,1 mil prorroga prazo de inscrições
Paranaíba: donos de veículos apreendidos pela polícia têm prazo de 30 dias para evitar leilão
Campo Grande é 5ª cidade mais infiel na pandemia, diz aplicativo
Pastor da 3ª Igreja Batista morre vítima do coronavírus em Campo Grande
Bolsonaro: vamos fazer silêncio para ela falar ‘fora Bolsonaro’ sozinha