Menu
Busca sábado, 11 de julho de 2020
(67) 99820-0742
Set

MS fecha campanha contra aftosa com 99,41% de cobertura e amplia índice de vacinação pela 6ª vez

18 julho 2016 - 16h32

O índice de vacinação de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa no Estado de Mato Grosso do Sul na campanha de maio – encerrada no ultimo dia 1º de julho – foi de 99,41%, segundo relatório da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro).

 Região Animais envolvidos Vacinação cadastrada Percentual
Planalto 16.652.973 16.584.391 99,59%
Pantanal   3.178.423  3.135.070 98,64%
Fronteira      575.292     573.669 99,72%
 
TOTAL 20.406.688 20.293.130 99,41%

Resultado da Campanha de vacinação contra febre aftosa em Mato Grosso do Sul (Maio/2016). FONTE: Iagro

O resultado, que supera o obtido nos últimos seis anos, deve garantir novamente a Mato Grosso do Sul colocação entre os três Estados com melhor índice de vacinação no País. Isso porque dos mais de 16.652.973 animais na região do planalto, 16.584.391 tiveram sua vacinação registrada, ou seja, 99,59%, superando os do 99,44% obtidos no mesmo período no ano anterior. Na região da fronteira, dos 575.292 animais 573.669 foram vacinados e registrados, totalizando 99,72%, percentual que também é superior aos 97,66% do mesmo período do ano anterior, e na região do Pantanal, a Iagro contabilizou 98,72% superando o percentual do mesmo período do ano anterior, que chegou aos 98,30%.

Mato Grosso do Sul vem obtendo índices superiores a 99 por cento desde 2012, um índice considerado excelente.

Ano Campanha de Maio
2011 97,65%
2012 99,02%
2013 99,18%
2014 99,16%
2015 99,33%
2016 99,41%

Resultado da Campanha de vacinação contra febre aftosa em Mato Grosso do Sul (últimos 6 anos). FONTE: Iagro

Durante todo o ano nas mais diversas ações, principalmente no Pantanal, a Iagro faz um alerta ao produtor sobre a obrigatoriedade do registro, que no caso do não cumprimento pode gerar multa de 1 (uma) UFERMS por animal não cadastrado – que hoje equivale a R$ R$ 23,63. A agência permanentemente disponibiliza o disque-aftosa (0800 679120) para esclarecer dúvidas e oferecer orientações.

A próxima etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa será realizada durante o mês de novembro, quando todos os animais de 0 a 24 meses deverão ser vacinados.

Controle

O controle da febre aftosa é fundamental para a economia do País, do ponto de vista econômico, pois é um importante componente de acesso aos mercados. Isso porque os países compradores de carne estabelecem fortes barreiras à entrada de animais suscetíveis à doença e aos produtos provenientes de regiões com ocorrência de aftosa, o que dá a Mato Grosso do Sul uma grande responsabilidade.

Desde a incidência da doença há 10 anos no Estado, os resultados obtidos nas campanhas contra a febre aftosa vem se repetindo. Aliada ao cumprimento de compromissos como a identificação individual de todo rebanho da fronteira e ações permanentes de vigilância, a excelência vacinal – que na última campanha colocou Mato Grosso do Sul entre os três Estados com melhores números no País – contribuiu significativamente para a liberação das exportações de carne bovina in natura da região de fronteira, para a União Europeia e adesão do Estado ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA), medidas anunciadas recentemente pelo Ministério da Agricultura e Abastecimento (MAPA).

 

Fonte: Notícias MS

Deixe seu Comentário

Leia Também

Criança atropelada na MS-276 está internada em estado gravíssimo
Morador de Rio Brilhante morre de covid-19 aos 55 anos
Capotamento de Hilux destruiu raio-x que seguia para a UPA Universitário
Brasil chega aos 70 mil mortos pela covid-19
Em 14 dias, ocupação das UTIs de Campo Grande quase dobrou e chega a 75%
Ex-secretário de Saúde do Rio estava com R$ 6 milhões em espécie
Justiça rejeita pedido de interferência na Prefeitura de Dourados sobre falta de leitos
Polícia fiscaliza 12 toneladas de pescado em Campo Grande e encontra irregularidade
Com gasolina mais cara, inflação volta a subir em Campo Grande
MS passa dos 12 mil casos de coronavírus e registra 146 mortes pela doença